“Não temos hoje na Igreja do mundo um movimento tão grande que cuida dos pobres como os vicentinos” - afirma presidente do CNLB

Em celebração ao Dia Nacional dos Cristãos Leigos e Leigas, Sônia Oliveira comenta sobre o papel cristão dos confrades e consócias



O Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB) é um dos organismos de articulação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), com o objetivo de integrar leigos e leigas cristãos. A presidente dele é a assistente social Sônia Oliveira.

Enquanto uma instituição formada integralmente por leigos, a Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP) está, na opinião de Sônia, entre as maiores. “Não temos hoje na Igreja do mundo um movimento tão grande que cuida dos pobres como os vicentinos. Engraçado que, quando queremos falar na Igreja de caridade, sempre nos reportamos às ações vicentinas, que estão presentes nas periferias de nossas cidades, que vão onde muitos não chegam, descobrem a dor e socorrem esses irmãos”. Ressalta. “A SSVP é uma instituição que se mantém pela graça do despojamento, do voluntariado e da caridade com os mais pobres”.

O CNLB começou a ser articulado em 1970, mas foi oficialmente fundado no ano de 1975, como Conselho Nacional de Leigos (CNL). Está presente em 17 regionais e conta com 18 organizações filiadas.

Além de ser um organismo de comunhão com os demais da Igreja, o CNLB tem por objetivo criar e apoiar mecanismos de formação e capacitação que ajudem o laicato a descobrir sua identidade, vocação, espiritualidade e missão, com vistas à construção de uma sociedade justa e fraterna.

Ainda sobre o trabalho vicentino, a presidente diz o quanto os confrades e as consócias têm a contribuir com a construção do ‘Reino de Deus’. “Penso que, se hoje conseguíssemos fazer um trabalho em rede com os vicentinos, poderíamos não só manter a assistência alimentar, mas conseguiríamos garantir políticas públicas para os pobres. Porque o vicentino, por meio da sindicância, sabe onde estão os problemas”.

 

“Eu vos chamei a serviço da justiça” (Is 42,6)

 

O Dia Nacional do Leigo este ano tem como tema Cristãos Leigos e Leigas: testemunho e profecia a serviço da vida, e lema: “Eu vos chamei a serviço da justiça” (Is 42,6). 

Sônia pede que os cristãos leigos não fiquem indiferentes ao sofrimento das pessoas; em especial das mais pobres. “Que possamos realmente ser porta-vozes destes irmãos e irmãs, e que os direitos sociais e humanos sejam retomados em nosso meio. E a Igreja não pode se calar! Somos nós os primeiros a assumir esta causa”.

 

Fonte: Redação do CM Formiga